Após iniciativa da Contrasp, deputado apresenta PL para que vigilante também seja prioridade na campanha de vacinação contra a Covid-19

Projeto vai somar aos dois pedidos feitos pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Segurança Privada

Não foi por falta de iniciativa que os vigilantes ainda não estão nos grupos prioritários para aplicação da vacina. A Contrasp protocolou dois pedidos no Ministério da Saúde, um em setembro quando foi anunciado a produção da vacina e outro em dezembro quando iniciou a campanha de imunização. Infelizmente ambos foram negados, pois segundo o órgão a imunização segue o protocolo da Organização Mundial da Saúde (OMS).

No Paraná também foi protocolado em janeiro oficio na Secretária de Saúde solicitando inclusão do vigilante no grupo prioritário, pela Federação dos Vigilantes do Paraná a Fetravispp, mas até o momento não obtivemos resposta.

Na esfera Federal, em andamento, está o pedido do Deputado Marcelo Freitas, ao Ministro Pazuelo, que foi encaminhado a Coordenação-Geral do Programa Nacional de Imunizações do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis e o Projeto de Lei 800/2021, do Deputado Federal Bacelar, que devido a tramitação da iniciativa não deve ter efeitos imediatos.

Mas a Contrasp continua no Congresso Nacional demonstrando a necessidade de os vigilantes serem inclusos nos grupos prioritários. Pois considerados categoria essencial, esses trabalhadores estão expostos a um alto risco de contaminação, devido ao contato direto com o público em hospitais, unidades de saúde, agências bancárias, comercio e indústria.

Para nós o essencial é salvar a sua vida!

wpChatIcon